Partido Nacionalista fica com 56 das 59 cadeiras na Escócia

O SNP acrescenta 50 deputados aos seis que já tinha desde 2010

Londres – O Partido Nacionalista Escocês (SNP), de Nicola Sturgeon, elegeu 56 deputados do total de 59 cadeiras que estavam em disputa na Escócia nas eleições gerais realizadas nesta quinta-feira no Reino Unido, segundo os resultados anunciados nesta sexta-feira.

Com todos os votos apurados nesse território, o SNP acrescenta 50 deputados aos seis que já tinha desde 2010, o que Sturgeon descreveu como “um ponto de inflexão histórico” na política britânica.

O grande perdedor na Escócia foi o Partido Trabalhista de Ed Miliband, que manteve apenas uma cadeira das 41 da atual legislatura, o que acabou repercutindo em sua derrota em nível nacional.

O Partido Liberal-Democrata, por sua vez, perdeu dez de seus deputados na região e mantém apenas um, enquanto o Partido Conservador, que tem pouca presença na Escócia, permaneceu com a única cadeira que tinha.

O antecessor de Sturgeon, Alex Salmond, responsável pelo referendo de independência da Escócia realizado em 18 de setembro do ano passado, conseguiu se eleger deputado e vai liderar a estratégia escocesa na Câmara dos Comuns de Westminster.

Após conhecer sua vitória, o político, que foi deputado em Londres pela primeira vez em 1987, afirmou que “o leão escocês rugiu esta noite”, ao comemorar o esperado avanço de seu partido, que se tornou a grande revelação destas eleições.

Em nível nacional, despontam como ganhadores do pleito os conservadores do primeiro-ministro, David Cameron, que somam 303 cadeiras com a apuração completada em 612 dos 650 distritos eleitorais em disputa, à frente dos trabalhistas, com 222 deputados.

Já o Partido Liberal-Democrata, que integra a atual coalizão de governo, é grande derrotado do pleito com apenas oito cadeiras, 46 a menos que na atual legislatura.