Partido da África do Sul discute se presidente deve renunciar

Não é só no Brasil: na África do Sul, cresce a preocupação com as acusações de corrupção nos níveis mais altos do governo

Joanesburgo – O partido governista da África do Sul está discutindo se o presidente Jacob Zuma deve renunciar ou não em meio à crescente preocupação com as acusações de corrupção nos níveis mais altos do seu governo.

Zuma enfrentou neste domingo (28) uma moção de desconfiança em uma reunião de líderes do partido Congresso Nacional Africano (ANC, na sigla em inglês), que tem conduzido a África do Sul desde o fim do governo da minoria branca em 1994.

Muitos no partido atribuem o mau desempenho do ANC nas eleições locais do ano passado a escândalos que cercam o presidente e querem reforçar a popularidade do partido antes das eleições nacionais em 2019.

Zuma sobreviveu a um movimento similar para expulsá-lo em uma reunião do comitê executivo nacional do partido em novembro, mas o mal-estar cresceu depois da demissão, desde março, do ministro de Finanças, Pravin Gordhan.