Partidarios de Assad matam pelo menos 20 libaneses

As circunstâncias nas quais morreram ainda são confusas: a emissora "A Voz do Líbano" sustenta que foram executados

Beirute – Pelo menos 20 libaneses morreram nesta sexta-feira por forças do regime de Damasco na cidade síria de Tel Kalaj, perto da fronteira com o Líbano, informou a imprensa deste país.

As circunstâncias nas quais morreram ainda são confusas: a rede de televisão “MTV” informou que as vítimas pereceram em uma emboscada feita pelos leais ao presidente Bashar al Assad, enquanto a emissora “A Voz do Líbano” sustenta que foram executados.

O opositor Observatório Sírio de Direitos Humanos, com sede em Londres, tinha assinalado anteriormente que tinha perdido o contato com 30 rebeldes que caíram em uma emboscada dos soldados do Governo na região de Tel Sarin, próxima a Tel Kalaj, embora não tenha mencionado a nacionalidade dos insurgentes.

Segundo os meios libaneses, a maior parte dos mortos era da cidade de Trípoli.

Após saber a notícia, foram escutados disparos nessa população entre os bairros rivais de Bab el Tebbaneh, de maioria sunita, e Jabal Mohsen, com predomínio alauí (xiita), seita à qual pertence a família do presidente sírio.

O Exército libanês reforçou suas patrulhas para evitar que a tensão degenere em choques.

Os incidentes na fronteira sírio-libanesa se intensificaram nos últimos meses, nos quais aconteceram sequestros, queda de projéteis e incursões militares.

A Síria acusa “grupos terroristas” de organizar a partir do Líbano ataques contra suas tropas e de enviar armas aos insurgentes.