Parlamento escocês dá sinal verde ao casamento gay

A lei já aprovou para a Inglaterra e Gales no ano passado, recebeu 105 votos favoráveis e 18 contra em seu último trâmite em Holyrood (Edimburgo)

Londres – O Parlamento escocês aprovou nesta terça-feira a lei do casamento gay que permitirá as uniões civis e em alguns casos religiosas entre casais do mesmo sexo.

A chamada Lei do Casamento e das Uniões Civis, similar ao texto legislativo que o Parlamento de Westminster já aprovou para a Inglaterra e Gales no ano passado, recebeu 105 votos favoráveis e 18 contra em seu último trâmite em Holyrood (Edimburgo).

A lei exime de celebrar esse tipo de uniões os credos que se oponham a eles, como a igreja protestante da Escócia e a católica, mas cada igreja poderá “optar” a realizar os casamentos gays.

“Sempre sustentamos que no fundo deste debate reside uma questão simples: o casamento só tem a ver com o amor”, afirmou o ministro da Saúde escocês, o nacionalista Alex Neil.

Até agora, as pessoas do mesmo sexo já contavam com a opção de registrar-se como casais civis na Escócia, apesar de o governo do independentista Partido Nacional Escocês considerar que a lei aprovada hoje era um “importante passo adiante para a igualdade”.

Enquanto os deputados debatiam em Holyrood a aprovação do texto, ativistas a favor do casamento homossexual se manifestavam na frente do Parlamento e comemoravam uma aprovação que parecia assegurada, uma vez que a lei já tinha passado por uma primeira votação parlamentar, em novembro passado, na qual recebeu 98 votos a favor e 15 contra.

“O dia de hoje será recordado na história como o dia no qual lésbicas, gays e bissexuais viram finalmente reconhecida sua igualdade legal completa na Escócia”, afirmou Tom French, coordenador do grupo escocês Rede de Igualdade.