Parlamento de Israel aprova eleições antecipadas em abril de 2019

A antecipação das eleições ocorre em meio a uma crise enfrentada pelo primeiro-ministro, alvo de uma série de investigações de corrupção.

Jerusalém- O parlamento de Israel aprovou nesta quinta-feira a dissolução do Legislativo e formalizou a antecipação das próximas eleições para 9 de abril, como anunciado pelo primeiro-ministro do país, Benjamin Netanyahu.

A convocação antecipada do pleito foi aprovada por 102 votos a favor e dois contrários – de um total de 120 parlamentares.

O ministro de Turismo, Yariv Levin, que representava o governo, disse que os quatro últimos anos foram de “grandes avanços da coalizão que trabalhou no parlamento”.

Os líderes da coalizão do governo de Israel, chefiada por Netanyahu, anunciaram na segunda-feira a convocação de eleições antecipadas após sucessivas crises, a última delas as discordâncias em relação a um projeto de lei para ampliar o recrutamento obrigatório para o serviço militar entre os judeus ultraortodoxos.

O projeto de lei aprovado hoje determina a dissolução do parlamento em preparação para as eleições e antecipa o pleito para o dia 9 de abril de 2019.

A oposicionista Tzipi Lvini, líder da União Sionista, disse que os últimos quatro anos foram marcados por uma “sensação de medo” e pela preocupação quanto ao futuro da democracia israelense.

Para ela, as eleições são a esperança de mudar essa “liderança corrupta que prejudicou a imagem de Israel”.

O anúncio da antecipação das eleições em três meses ocorre em meio a uma crise enfrentada por Netanyahu, alvo de uma série de investigações de corrupção.

Apesar disso, as pesquisas realizadas depois do anúncio das eleições antecipadas mostram Netanyahu na liderança.