Parlamento britânico rejeita estender prazo do Brexit

Propostas queriam evitar saída do Reino Unido da UE sem acordo caso Câmara não aprove tratado até dia 26

Londres – O parlamento do Reino Unido rejeitou nesta terça-feira duas emendas que exigiam que o governo de Theresa May pedisse uma extensão do prazo para deixar a União Europeia (UE) se não houver um acordo entre as partes ainda neste mês.

As emendas, propostas por duas deputadas da oposição trabalhista – Yvette Cooper e Rachel Reeves -, foram derrotadas por 321 a 298 e 322 a 290, respectivamente, na votação na Câmara dos Comuns.

As duas propostas tinham como objetivo descartar qualquer hipótese de um “Brexit” sem acordo caso a Câmara dos Comuns não aprove até o próximo dia 26 um pacto com a UE.

A sugestão feita por Cooper tinha obtido apoio explícito da direção do Partido Trabalhista, assim como de alguns deputados conservadores, aliados de May.

“Me preocupa profundamente que o atraso e a intenção do governo de ‘perseguir unicórnios’ termine com uma saída sem acordo por acidente”, alertou Cooper durante o debate sobre as emendas realizado na Câmara dos Comuns.

Em discurso para os deputados, May voltou a mostrar oposição às emendas trabalhistas. “Um adiamento sem ter um plano alternativo é uma estrada que leva a lugar nenhum”, criticou.

A primeira-ministra anunciou mais cedo que voltará a Bruxelas para tentar renegociar o mecanismo de salvaguarda para a Irlanda do Norte, o ponto que gera mais divergência no acordo, e tentar fazer com que a Câmara dos Comuns aprove o texto modificado.

May pretende apresentar um acordo modificado no dia 13 de fevereiro, mas a Comissão Europeia já afirmou que o atual acordo do “Brexit”, assinado é definitivo e que não vai renegociá-lo.

Assim que a primeira-ministra fizer uma nova proposta para que a região deixe o bloco europeu, os deputados terão uma segunda oportunidade de propor emendas que modifiquem o texto apresentado pelo governo britânico. EFE