Parlamento aprova composição da nova Comissão Europeia

O Parlamento Europeu aprovou Comissão Europeia que será presidida pelo ex-primeiro-ministro de Luxemburgo, Jean-Claude Juncker

Estrasburgo – O Parlamento Europeu (PE) aprovou nesta quarta-feira a Comissão Europeia que será presidida pelo ex-primeiro-ministro de Luxemburgo, Jean-Claude Juncker, assim como os 27 membros de seu colégio de comissários.

O Executivo europeu para os próximos cinco anos recebeu 423 votos a favor, 209 contra e 67 abstenções de um total de 699 votos.

“Com o resultado, foi eleita a CE”, declarou o presidente do PE, Martin Schulz.

O Partido Popular Europeu (PPE) votou favoravelmente à CE de Juncker, assim como uma maioria dos socialdemocratas europeus (S&D), com a exceção de alguma delegação nacional que se absteve, e também boa parte dos liberais (ALDE).

Já os votos contrários foram compostos pelos Verdes europeus, pela Esquerda Unitária (GUE/NGL) e pelo grupo dos eurocéticos de Nigel Farage (EFDD).

Os conservadores e os reformistas (ECR), o terceiro grupo majoritário na Eurocâmara, optou pela abstenção.

No debate anterior à votação, Juncker defendeu no plenário do PE que gostaria que a Europa tivesse “um triplo A social”, em referência à máxima nota possível da qualificação de risco da dívida.

Juncker antecipou que, “antes do Natal”, quer anunciar um “pacote ambicioso” de 300 bilhões de euros em investimentos públicos e privados na economia real.

“A Europa está vivendo uma seca de investimentos que não tem comparação”. “As economias que não investem não podem crescer, nem gerar emprego”, disse Juncker aos eurodeputados.

Após obter o respaldo do PE, o mandato dos 27 comissários europeus que farão parte da CE de Juncker não começa de forma automática.

Os comissários terão que esperar até 1º de novembro para assumir suas funções.