Para deputado francês, Hitler não matou ciganos suficientes

Todos os verões, os ciganos franceses - cerca de meio milhão, segundo estimativas oficiais - circulam pelas estradas da França em suas caravanas

Rennes – “Hitler talvez não tenha matado ciganos suficientes”, declarou o deputado prefeito de Cholet, cidade do oeste da França onde ciganos franceses se instalaram no domingo em um terreno particular, informou nesta segunda-feira um jornal da região.

O prefeito Gilles Bourdouleix, deputado do partido de centro-direita UDI, expressou sua fúria e seu racismo quando estava no acampamento onde se instalaram, com suas caravanas, alguns membros desta população que na França é chamada oficialmente de “gens de voyage” – ou seja, gente que viaja, povo nômade.

O jornal Le Courrier de l’Ouest publicou em seu site a gravação das declarações racistas do prefeito.

O presidente do UDI, Jean Louis Borloo, condenou as declarações e convocou a direção do partido a examinar as medidas que devem ser tomadas.

Todos os verões, os ciganos franceses – cerca de meio milhão, segundo estimativas oficiais – circulam pelas estradas da França em suas caravanas, visitando parentes, oferecendo seus produtos nos mercados do sul do país e acampando nas localidades próximas à costa.