Papa planeja visita à Grécia para apoiar refugiados

Em um comunicado, o Santo Sínodo da Igreja acrescentou que também havia convidado o chefe espiritual dos ortodoxos, o patriarca ecumênico Bartolomeu I

O papa Francisco pediu para visitar a Grécia para manifestar sua solidariedade aos refugiados, indicou nesta terça-feira o Santo Sínodo da Igreja da Grécia, afirmando que já havia dado sua aprovação a uma visita do pontífice a Lesbos.

Em um comunicado, o Santo Sínodo da Igreja, o órgão colegiado diretor, acrescentou que também havia convidado o chefe espiritual dos ortodoxos, o patriarca ecumênico Bartolomeu I, “para que honre Lesbos com sua presença no dia da visita do papa Francisco”.

Embora o anúncio não informasse a data da viagem papal, segundo o site especializado dogma.gr a visita pode ocorrer em 15 de abril.

De acordo com o comunicado, o chefe da igreja ortodoxa da Grécia, Monsenhor Jerônimo, foi informado “do desejo do papa Francisco de viajar à Grécia” para “sensibilizar a comunidade internacional sobre a necessidade de um cessar-fogo imediato nos conflitos” no Oriente Médio e “ressaltar a gravidade do grande problema humanitário” que o fluxo de refugiados representa.

Francisco tornou sua a causa dos migrantes e refugiados que viajam à Europa desde 2015.

Em 27 de março, criticou “a rejeição” aos migrantes por parte dos “que poderiam oferecer uma acolhida e ajuda”, em uma nova e amarga crítica às sociedades ocidentais, especialmente europeias, que fecham suas fronteiras.