Papa pede respeito aos direitos humanos das famílias migrantes

O pontífice lembrou que a Virgem Maria e José tiveram que deixar seu país, Nazaré, e ir a Belém para o nascimento de Jesus

Roma – O papa Francisco pediu neste sábado, durante a celebração da festa da Imaculada Conceição em Roma, que sejam protegidos os direitos das famílias que abandonam seus países em busca de uma vida melhor.

Francisco enviou esta mensagem durante a oração que pronunciou na tradicional oferenda de flores diante da coluna da Imaculada na Praça da Espanha, na capital italiana.

Durante sua oração, Francisco lembrou que a Virgem Maria e José tiveram que deixar seu país, Nazaré, e ir a Belém para o nascimento de Jesus.

“Sabe o que significa levar no seio a vida e sentir ao seu redor a indiferença, a rejeição, às vezes o desprezo”, disse Francisco se dirigindo à Virgem.

Neste sentido, o pontífice pediu à Virgem que esteja perto das famílias no mundo todo que “vivem situações similares, para que não fiquem abandonadas”, mas vejam “tutelados os seus direitos, direitos humanos que vão antes que qualquer exigência, por mais legítima que seja”.

O papa foi recebido em sua chegada à Praça da Espanha pela prefeita de Roma, Virgínia Raggi, com quem trocou algumas palavras.

Veja também

Centenas de pessoas se aproximaram da praça para poder escutar o pontífice e receber sua bênção, mas muitos tiveram que conformar-se em vê-lo de longe, por trás de cercas de segurança.

A tradição papal da oferenda de flores remonta a 1857, três anos depois da definição dogmática da Conceição Imaculada da Virgem Maria, formulada pelo papa Pio IX (1846-1878).

Naquele ano, por vontade do beato Pio IX, se erigiu este monumento na romana Praça da Espanha e foi ele quem o abençoou em 8 de setembro de 1857 da sacada central da embaixada espanhola em frente à Santa Sé.