Papa Francisco medita na Mesquita Azul de Istambul

Enquanto o mufti rezava, o sumo pontífice meditou por dois minutos com os olhos fechados e as mãos unidas

Istambul – O papa Francisco parou por alguns minutos para meditar neste sábado na famosa Mesquita Azul de Istambul, onde foi recebido pelo grande mufti da cidade, no segundo dia de sua viagem a Turquia, dedicada ao diálogo entre as religiões.

Enquanto o mufti rezava, o sumo pontífice meditou por dois minutos com os olhos fechados e as mãos unidas, como havia feito simbolicamente há oito anos seu antecessor, Bento XVI, no mesmo local.

O papa, de 77 anos, chegou à mesquita a bordo de um veículo modesto e foi recebido por Rahmi Yaran, a principal autoridade religiosa de Istambul, com quem percorreu o edifício construído no século XVII sob o reinado do sultão Ahmet I, durante o império otomano.

Os dois pararam diante do “mirhab”, que aponta a direção de Meca, onde está exposta a sura 19 do Alcorão que menciona a concepção virginal de Maria.

Durante a visita em 2006, o gesto de Bento XVI na mesquita foi interpretado como uma oração, mas o Vaticano o chamou de “meditação”. A Santa Sé informou que Francisco faria o mesmo.

Após a visita à mesquita, o papa atravessou de carro a grande esplanada de Sultanahmet, que leva à basílica de Santa Sofia, uma igreja bizantina construída no século VI. Foi transformada em mesquita após a conquista de Constantinopla pelo império otomano em 1453 e transformada em museu em 1934.