Papa diz que convocação de cúpula sobre abusos é ato de responsabilidade

Na próxima semana, o Vaticano recebe uma cúpula sem precedentes sobre "a proteção dos menores na Igreja"

Cidade do Vaticano – O papa Francisco lembrou neste domingo a histórica reunião sobre pedofilia que será realizada de 21 a 24 de fevereiro no Vaticano e disse que organizá-la era um “ato de forte responsabilidade pastoral diante de um desafio urgente” atual.

“De quinta-feira a domingo, será realizada no Vaticano uma reunião dos presidentes de todas as Conferências Episcopais sobre o tema da proteção dos menores na Igreja Católica“, lembrou Francisco desde a janela do Palácio Apostólico e depois da reza do Angelus.

“Os convido a orar por este evento, que quis (convocar) como ato de forte responsabilidade pastoral diante de um desafio urgente do nosso tempo”, acrescentou.

Na próxima semana irá acontecer no Vaticano uma cúpula sem precedentes sobre “A proteção dos menores na Igreja” que reunirá os presidentes das Conferências Episcopais de cerca de 130 países, os superiores gerais de congregações e grupos de vítimas.

Nela farão insistência na tomada de responsabilidade, que existem métodos efetivos para as denúncias e sobretudo na transparência, segundo explicou nesta semana um dos membros do comitê organizador, Hans Zollner.

O Vaticano anunciou ontem a expulsão do ex-cardeal e arcebispo emérito de Washington Theodore McCarrick por abusos, uma decisão inapelável que aconteceu às vésperas desta reunião sobre pedofilia.

McCarrick (Nova York, 1930) foi considerado pela Congregação para a Doutrina da Fé culpado de abusos a menores e a adultos com o agravante de abusos de poder e por isso se lhe impôs a pena da redução ao estado laical, o máximo castigo contemplado no direito canônico.

McCarrick se transforma na figura católica de maior categoria que recebe uma condenação deste tipo nos últimos tempos.