Papa aprova canonização de Madre Teresa, diz jornal

O papa Francisco assinou o decreto que autoriza a canonização de Madre Teresa de Calcutá, segundo o jornal católico "Avvenire"

Cidade do Vaticano – O papa Francisco assinou na tarde desta quinta-feira o decreto que autoriza a canonização de Madre Teresa de Calcutá, em uma cerimônia prevista para ocorrer em setembro de 2016, segundo o jornal católico “Avvenire”.

O “Avvenire” disse que a canonização de Madre Teresa de Calcutá será divulgada em fevereiro, durante o Consistório Ordinário. Ela será feita santa em 4 de setembro de 2016, no marco do Ano Santo Extraordinário de Misericórdia.

A canonização ocorre depois de a Igreja Católica ter aprovado por unanimidade a “cura extraordinária” de um homem brasileiro em 2008, que estava em fase terminal por graves problemas cerebrais.

O milagre teria sido realizado em setembro do mesmo ano, quando o doente, já em coma, ia ser operado, mas a intervenção que acabou sendo adiada por meia hora por problemas técnicos.

Ao voltar à sala de cirurgia, segundo o “Avvenire”, o médico encontrou o paciente sentado, sem sintomas, perfeitamente consciente e perguntando o que estava fazendo no hospital.

O médico explicou, durante a fase do estudo desse suposto milagre, que “nunca viu um caso como esse”. Além disso, afirmou que todos os pacientes tratados por ele com problemas similares em seus 17 anos de profissão tinham morrido.

As análises sucessivas sobre o paciente revelaram a cura da doença cerebral em um curto espaço de tempo e sem sequelas. O brasileiro logo retomou sua vida e seu trabalho.

Testemunhas ouvidas durante a investigação afirmaram que pessoas próximas ao paciente rezaram muito à Madre Teresa, beata da qual a esposa do brasileiro é devota.

O estudo do milagre foi iniciado em junho deste ano na diocese de Santos e com a aprovação por parte do papa põe fim a um processo pelo qual Madre Teresa foi beatificada em 2003, durante o pontificado de João Paulo II.

Madre Teresa, cujo nome de batismo era Agnes Gonxha Bojaxhiu, nasceu no dia 20 de agosto de 1910 em Skopje, capital da atual Macedônia, cidade que na época pertencia à Albânia.

Durante sua vida fundou a Ordem das Missionárias da Caridade e ficou conhecida pela dedicação aos mais pobres e desfavorecidos, recebendo o Prêmio Nobel da Paz em 1979.

Seu enterro no dia 5 de setembro de 1997, em Calcutá, foi um acontecimento nacional na Índia. Milhares de pessoas acompanharam seu corpo pelas ruas da cidade e, ao funeral, vários chefes de Estado e de governo de todo mundo estiveram presentes.

O caminho para a santidade tem várias etapas. Primeiro, o papa precisa reconhecer as virtudes heroicas de uma pessoa, que passa a ser considerada como “Servo de Deus Venerável”. Depois há a beatificação e a canonização.

Para que um “venerável” seja beatificado é preciso que tenha produzido um milagre. Já para a canonização é necessário um segundo milagre, que deve ser produzido após ser proclamado beato.