Países do Leste aguardam recursos da União Européia

A partir de 2007, novos membros do bloco, como Polônia e República Tcheca, devem receber cerca de 20 bilhões de euros por ano

Os países do leste europeu começam a se preparar para os recursos que a União Européia injetará na região, nos próximos anos. De acordo com o jornal americano The New York Times, a partir de 2007, os países ricos do oeste, liderados por Alemanha, França e Grã-Bretanha, devem investir cerca de 20 bilhões de euros por ano nas nações egressas do comunismo.

Os especialistas apostam que a maior parte do dinheiro irá para a Polônia, a maior e mais populosa nação do leste a ingressar na União Européia. Mas outros países da região também devem ser beneficiados. A República Tcheca, por exemplo, espera que os recursos repassados pelo bloco econômico representam cerca de 4% de seu Produto Interno Bruto.

“Queremos explorar todo o potencial da Europa, mas, devido à história política recente, temos profundas desigualdades”, diz Danuta Hübner, comissário de políticas regionais da União Européia. “Todos cidadão tem o direito de se beneficiar do crescimento europeu”.

O orçamento europeu para o período de 2007 a 2013 ainda contém muitas divergências entre alemães, britânicos e franceses os líderes do bloco. Mas é certo que os recursos irão, prioritariamente, para os antigos países comunistas. Nestas nações, a expectativa de novos recursos está gerando euforia, mas também muita discussão sobre como usá-los para assegurar competitividade e se desenvolver.

A Irlanda e a Espanha, cujo passado baseou-se na economia agrícola, usaram os investimentos do bloco para se estabilizar e hoje são duas das nações que mais crescem na Europa.