Países compartilham gastos militares pela primeira vez

''Isso é fundamental para consolidar as condições de transparência, de confiança mútua na região'', disse o ministro da Defesa do Equador

Quito – Os 12 países sul-americanos revelaram uns aos outros quanto gastam na área de defesa, medida com a qual pretendem fortalecer a confiança mútua e evitar conflitos na região, informou nesta quarta-feira à Agência Efe a Secretaria-Geral da União de Nações Sul-americanas (Unasul).

”É a primeira vez que conseguimos reunir os países da América do Sul e colocar sobre a mesa quanto são nossos investimentos em defesa, quais são nossos orçamentos”, disse o ministro de Defesa equatoriano, Miguel Carvajal, em cerimônia em Quito junto com seu colega argentino, Arturo Puricelli.

”Isso é fundamental para consolidar as condições de transparência, de confiança mútua na região”, acrescentou.

Até janeiro, seis países já haviam compartilhado seus dados e, desde então, os demais membros da Unasul o fizeram, segundo a Secretaria-Geral.

Alfredo Forti, diretor do Centro de Estudos Estratégicos (CEED), que funciona desde o ano passado em Buenos Aires e que recebeu a informação, apresentará nesta quinta-feira um registro preliminar das despesas.

Segundo uma fonte da Unasul, a apresentação terá a participação de Carvajal, Puricelli e dos vice-ministros de Defesa do Brasil e da Colômbia. A Venezuela ainda não confirmou se enviará o ministro ou o vice-ministro.

O relatório final será entregue em um encontro em Assunção na primeira semana de junho, segundo a Secretaria-Geral da Unasul.

O compartilhamento dos dados é resultado do trabalho de três anos de um grupo de trabalho composto pelo Chile, Equador e Peru, que estabeleceu uma metodologia comum para a medição da despesa militar. A informação entregue corresponde ao período 2006-2010 e os ministros deverão decidir se a divulgam também ao público.

No ato desta quarta-feira, Puricelli destacou a importância de aprofundar as relações militares na região. ”Estamos trabalhando por uma defesa integrada, por uma cooperação em defesa para nossa América do Sul”, declarou o ministro, que entregou ao Equador uma usina potabilizadora das Forças Armadas argentinas, capaz de limpar água altamente poluída.