Pai francês confessa ter assassinado esposa e quatro filhos

O assassinato da família é uma das piores tragédias familiares nos últimos anos na França

Um pai de 33 anos confessou neste domingo o assassinato de sua mulher e dos quatro filhos, na noite de sábado, em Lyon (centre-leste), uma das piores tragédias familiares nos últimos anos na França.

Segundo uma fonte judiciária, o pai “reconheceu ter cometido os fatos”, diante dos investigadores. Uma fonte ligada à investigação apontou “antecedentes psiquiátricos conhecidos” do suspeito. Ele deve comparecer à Justiça nesta segunda-feira para ser denunciado.

O drama foi descoberto no sábado à noite pelos bombeiros, alertados pela irmã da vítima, a mãe das crianças, ao visitá-la.

“Ao chegar, a equipe encontrou um homem sentado na sala e, em um cômodo vizinho, quatro crianças e sua mãe mortas e escondidas sob cobertores”, declarou o chefe da equipe de bombeiros.

“O pai estava prostrado. Tinha dificuldade de falar. Também chamamos a Polícia“, que o prendeu imediatamente, completou.

Assim como a mãe, as crianças, com 6 meses, 18 meses, 3 anos e 7 anos, receberam facadas, disse uma fonte da Justiça, acrescentando que a necropsia está prevista para terça-feira.

A família tinha mais um filho, de 14 anos, que escapou do massacre porque passou a noite na casa dos avós.

Este é um dos mais trágicos dramas familiares na França nos últimos anos, marcados, principalmente, pelo enigmático caso “Dupont de Ligonnès”. Em abril de 2011, os corpos de uma mãe e de seus quatro filhos foram encontrados enterrados na varanda da casa da família, em Nantes (oeste). O pai, Xavier, está desaparecido desde então.