Pacote suspeito destinado a congressista democrata é interceptado nos EUA

O pacote suspeito destinado à Maxine Waters foi encontrado em um centro de correspondências do Congresso nos arredores de Washington

Washington – A Polícia do Capitólio dos Estados Unidos interceptou nesta quarta-feira outro pacote suspeito em um centro de correspondências do Congresso nos arredores de Washington, informaram as redes de televisão “ABC News” e “CNN”.

O pacote era destinado à congressista democrata Maxine Waters, uma das políticas de oposição ao atual governo mais criticadas pelo presidente Donald Trump.

O esquadrão antibombas da Polícia do Capitólio está investigando o pacote encontrado no centro de correspondências, que fica na cidade de Capitol Heights, no estado de Maryland, vizinho do Distrito de Columbia, onde está localizada a capital do país.

Waters, que em junho incentivou os opositores de Trump a repreender em público os funcionários próximos a ele se os encontrassem na rua, foi alvo de várias críticas do presidente.

O Serviço Secreto dos EUA interceptou hoje outros dois pacotes suspeitos enviados às residências do ex-presidente Barack Obama e da ex-candidata presidencial Hillary Clinton, duas figuras antagônicas a Trump.

Um terceiro pacote foi enviado ao complexo de edifícios Time Warner Center, em Nova York, onde ficam escritórios da rede de televisão “CNN”, e era destinado ao ex-diretor da CIA John Brennan, outro inimigo político do presidente.

Um quarto pacote foi encontrado no escritório de mais uma congressista democrata, Debbie Wasserman Schultz, na cidade de Sunrise (no sul da Flórida), e tinha como destinatário Eric Holder, que foi procurador-geral dos EUA durante o primeiro mandato de Obama.

Além disso, o governador do estado de Nova York, Andrew Cuomo, afirmou hoje que seu escritório em Manhattan também recebeu e identificou um “dispositivo” suspeito de ser um explosivo, algo que a polícia tenta confirmar.

A Casa Branca condenou todas essas tentativas de ataque, e as autoridades americanas ainda não informaram sobre uma possível motivação política dos fatos.