Otan vê ‘baixas insuportáveis’ entre as forças afegãs

O comandante da Otan no Afeganistão estima que o número de baixas entre o Exército e a polícia afegãs "é insuportável"

Londres – O comandante da Otan no Afeganistão estima que o número de baixas entre o Exército e a polícia afegãs “é insuportável”, em entrevista publicada nesta terça-feira pelo jornal britânico The Guardian.

O general americano Joseph Dunford, no comando das tropas da Otan no Afeganistão, considera ainda que as forças de segurança afegãs devem necessitar de mais cinco anos de ajuda ocidental até que sejam capazes de assumir a plena responsabilidade de seu trabalho.

“Considero que isto é grave, e todos os comandantes, também”, disse o general Dunford sobre o número de mortos, geralmente centenas por semana. “Não me parece um número de baixas aceitável”.

Segundo o general, “o tempo dirá” se a Otan teve razão em transformar, em junho, seu papel de combatente em uma operação de “treinamento, conselho e assistência”.

O presidente americano, Barack Obama, se comprometeu a entregar aos afegãos a completa responsabilidade de sua segurança até o final de 2014, e algumas unidades da Otan permanecem no país.

O general Dunford estima que alguns destes militares poderão permanecer no Afeganistão até 2018 e que além do papel de “assistência”, a Otan deve proporcionar apoio em combates.

Um novo ataque dos talibãs – com suicidas e homens disfarçados de policiais – provocou nesta segunda-feira a destruição de quase 40 veículos – entre caminhões de abastecimento e blindados americanos – em uma base dos Estados Unidos perto da fronteira paquistanesa, na província de Nangarhar.

Os três atacantes foram mortos e nenhum militar da Otan ficou ferido na ação.