Otan descarta intervenção no Irã em resposta a programa nuclear

'A Otan não tem nenhuma intenção de intervir no Irã e não está envolvida na questão iraniana' explicou o secretário-geral Anders Fogh Rasmussen

Bruxelas – O secretário-geral da Otan, Anders Fogh Rasmussen, pediu nesta quinta-feira que o Irã pare com seu programa de enriquecimento de urânio e descartou qualquer possibilidade da Aliança participar de um ataque contra o país.

‘A Otan não tem nenhuma intenção de intervir no Irã e não está envolvida na questão iraniana’, ressaltou Rasmussen em entrevista coletiva sobre os supostos planos de Estados Unidos e Reino Unido para lançar um ataque.

Segundo meios de comunicação britânicos, tanto Washington como Londres estariam planejando uma possível ação militar pela preocupação crescente com as atividades nucleares de Teerã.

O secretário-geral da Otan disse nesta quinta-feira que a organização apoia ‘os esforços internacionais para buscar soluções políticas e diplomáticas ao problema do Irã’ e pediu aos líderes iranianos que ‘cumpram as resoluções do Conselho de Segurança da ONU e interrompam o programa de enriquecimento’.

Nos últimos dias, também aumentaram as especulações em Israel sobre um possível ataque militar contra o programa nuclear iraniano, depois que vários jornais informaram que o assunto está sendo discutido pelo Governo sionista.

Israel considera o desenvolvimento atômico iraniano como uma de suas maiores ameaças e um elemento desestabilizador de toda a região.

Segundo uma pesquisa divulgada nesta quinta-feira, 41% dos israelenses são a favor que seu país ataque o Irã, enquanto 39% estão contra e 20% não sabem responder.