Abu Bakr al-Baghdadi, líder do EI, está morto, afirma ONG

Rede de ativistas sírios diz ter confirmado a informação com fontes ligadas ao EI, embora não tenha conseguido precisar quando a morte teria acontecido

São Paulo – O Observatório Sírio para Direitos Humanos (OSDH) disse à Reuters nesta terça-feira que “confirmou a informação” de que o líder máximo do Estado Islâmico (EI), Abu Bakr al-Baghdadi, está morto.

“Confirmamos informações dadas por líderes, incluindo um do alto escalão do EI, na zona rural de Deir al-Zor (Síria)”, disse o diretor do grupo de monitoramento da guerra, Rami Abdulrahman. Essas fontes, contudo, não especificaram quando essa morte teria ocorrido.

O OSDH é uma entidade formada por uma rede de ativistas na Síria e está baseado no Reino Unido. Nos últimos anos, se transformou em uma importante e confiável fonte de informações sobre os conflitos na região.

Repercussão

A morte de Baghdadi, que já foi anunciada outras vezes, seria um dos maiores golpes já sofridos pelo grupo jihadista, que está tentando defender seu território cada vez menor na Síria e no Iraque.

Oficialmente, a Rússia disse em junho que poderia tê-lo matado quando um ataque aéreo atingiu o local onde acontecia o encontro de comandantes do EI em Raqqa. Os Estados Unidos (EUA), contudo, disseram não poder corroborar a morte e autoridades iraquianas e curdas se mostraram céticas quanto ao anúncio.

A Reuters lembra que não pôde verificar essa informação de maneira independente. Sites afiliados aos extremistas, assim como contas de redes sociais não publicaram nenhuma notícia sobre a possível morte do líder.

Abu Bakr al-Baghdadi

A última vez que o líder do EI foi visto publicamente foi em 2014. Ocupava o púlpito da suntuosa mesquita Al Nuri, em Mosul (Iraque) para anunciar o estabelecimento do califado na Síria e Iraque e se autoproclamou o líder do mundo muçulmano.

Desde então, nunca mais foi visto e notícias sobre sua morte, embora nunca confirmadas, passaram a ocupar os noticiários esporadicamente.

Pouco se sabe sobre suas origens, mas teria nascido em 1971 em Samarra (Iraque). Depois de se consolidar como líder do EI, Baghdadi se tornou, ainda, um dos terroristas mais procurados do planeta. Segundo informações do FBI, há uma recompensa pelo seu paradeiro avaliada em 25 milhões de dólares.

 

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. Cayler Chymyth

    Não adianta, se morreu o Abu Bakr al-Baghdadi surgi um novo Abu ou um novo Ozama Bin Laden. tem muita gente fanática naquela região. Os terroristas nunca acabarão. Ou melhor, acabarão sim, quando acontecer o apocalipse.