OSCE vai enviar drones e mais observadores à Ucrânia

OSCE duplicará número de seus observadores na Ucrânia, e desdobrará drones para seus trabalhos na região

Viena – A OSCE duplicará de forma paulatina ao longo de dois meses o número de seus observadores na Ucrânia, até um máximo de 500, e desdobrará drones para seus trabalhos de verificação do cessar-fogo estipulado entre Kiev e os separatistas pró-Rússia.

Assim assegurou nesta quinta-feira, em entrevista coletiva em Viena, o chefe da missão na Ucrânia da Organização para a Segurança e a Cooperação na Europa (OSCE), o diplomata turco Ertugrul Apakan.

Os drones e a duplicação do número de analistas aumentarão a “capacidade para observar o que acontece e supervisionar o cessar-fogo”, indicou Apakan.

O número de observadores aumentará de forma paulatina até o máximo de 500 soldados no prazo de dois meses, enquanto os drones poderiam estar operando em cerca de seis semanas, segundo o responsável da missão.

Além dos 500 observadores previstos, a OSCE contará com outras 400 pessoas em tarefas de apoio para facilitar o trabalho dos analistas, precisou.

Por enquanto, se desconhece quantos desses aparatos de observação aérea, contratados pelo produtor austríaco Schiebel, serão postos em funcionamento, já que dependerá de suas “capacidades técnicas”, segundo Apakan.

O diplomata turco indicou que a Alemanha e França mostraram sua disposição em fornecer também drones de sua propriedade para ajudar a melhorar as capacidades da missão, embora essa possibilidade ainda esteja sendo negociada.

Apakan confiou que, com mais gente, com “mais mobilidade e flexibilidade”, seja possível cobrir o amplo mandato da missão, que prevê não só supervisionar o cessar-fogo, mas também vigiar a fronteira da Ucrânia com a Rússia e informar sobre a situação humanitária no Leste do país.

A OSCE, formada por 57 países, entre eles Ucrânia e Rússia, conta com 250 observadores para verificar o cessar-fogo nas regiões orientais de Donetsk e Lugansk desde 5 de setembro.