Os números do maior ataque contra a França após a 2ª Guerra

Onze meses depois dos atentados ao semanário Charlie Hebdo, a França encara mais uma vez seu pior pesadelo. Veja o que já sabemos sobre os ataques

*Atualizada às 19h para incluir dados oficiais

São Paulo –  Por volta das 21h de sexta (horário local), o som de três explosões ecoou no estádio Stade de France, onde 80 mil pessoas viam um amistoso da França e Alemanha. Aquele era apenas o começo do pesadelo.

Onze meses depois dos atentados ao semanário Charlie Hebdo, a França encara mais uma vez o terror de frente.  Cerca de 129 pessoas morreram na noite de ontem na área central de Paris no maior ataque desde a Segunda Guerra Mundial ao país.

“É um ato de guerra”, declarou o presidente francês, François Hollande, ao culpar o Estado Islâmico pela série de atos terroristas e prometer uma luta sem piedade contra o grupo. Veja o que já se sabe sobre os terroristas

Atentados deixaram 129 mortos

Em coletiva de imprensa, Francois Molins, promotor de Paris, afirma que 129 pessoas foram mortas durante atentados.

Os ataques deixaram ainda 352 pessoas feridas – 99 estão em estado grave.

No total, três grupos de terroristas atuaram durante os atentados

Na casa de shows Bataclan, foi contabilizado o maior número de vítimas: cerca de 89 pessoas morreram no local.

Ao menos uma pessoa foi vítima de explosões no Stade de France e outras 15, nos bares Le Petit Cambodge e Le Carillon. Mais 19 foram executadas no restaurante La Belle Equipe e outras cinco no bar La Bonne Biere. 

 

REUTERS

Um par de tênis abandonado no lado de fora da famosa casa de shows parisiense Bataclan, um dos locais nos quais mais pessoas morreram durante a onda de ataques em Paris nesta sexta-feira.

Um par de tênis abandonado no lado de fora da famosa casa de shows parisiense Bataclan, um dos locais nos quais mais pessoas morreram durante a onda de ataques em Paris nesta sexta-feira.

 

 

Foram 6 ataques na região central de Paris 

9h20 – Uma pessoa morreu com a explosão da primeira bomba perto do Stade de France, onde ocorria um amistoso entre as seleções da França e Alemanha. O homem-bomba teria tentado entrar no estádio, mas foi impedido por um agente de segurança. [Apresentado com ícone vermelho no mapa]. 

9h25 – Terroristas armados com kalashnikovs alvejaram clientes e pessoas que passavam no bar Le Carillon e no restaurante Le Petit Cambodge. Os terroristas estavam em um carro preto da marca Seat. Quinze pessoas são mortas e 10 ficaram feridas .[Apresentados com ícones  laranja e verde no mapa]. 

9h30 – Outro homem-bomba suicida detonou explosivos perto do Stade de France. [Apresentado com ícone vermelho no mapa]. 

9h32 – Usando o mesmo carro, os terroristas alvejaram clientes e pessoas que passavam pelo bar La Bonne Biere. Cinco pessoas morreram e oito ficaram feridas. [Apresentado  com ícone azul no mapa]. 

9h36 – Provavelmente a mesma equipe de terroristas atirou contra clientes do restaurante La Belle Equipe. No total, 19 pessoas morreram e nove ficaram feridas. [Apresentado com ícone lilás no mapa]. 

 

Reuters

Marcas de tiro em um dos restaurantes atingidos em ataques terroristas em Paris - 14/11/2015

 

9h40 – Terrorista detona explosivo dentro do restaurante Voltaire. Uma pessoa é gravemente ferida. [Apresentado com ícone amarelo no mapa]. 

9h40 – Em um VW Polo preto, três terroristas chegam à casa de espetáculos Le Bataclan. Eles fazem o público como refém e atiraram aleatoriamente. Cerca de 89 pessoas morreram. [Apresentado com ícone preto no mapa]. 

9h53 – Terceiro suicida explode bomba na rua Coquerie, próximo ao estádio. 

0h20 – A polícia entra no Bataclan e mata um terrorista. Os outros explodem as bombas que vestem. 

Veja no mapa:

Há dois brasileiros feridos

Segundo o Itamaraty, dois brasileiros que estavam no restaurante Le Petit Cambodge foram feridos, mas eles passam bem.