Orçamento de Londres 2012 dispara até os 13 bilhões

A organização dos Jogos ultrapassou o orçamento com o qual trabalhava em quase 2,4 bilhões de euros

Londres – O orçamento final dos Jogos Olímpicos de Londres 2012 chegará perto dos 13 bilhões de euros, quase 20% maior que a última previsão do governo britânico, segundo um relatório parlamentar divulgado nesta sexta-feira.

A organização dos Jogos ultrapassou o orçamento com o qual trabalhava em quase 2,4 bilhões de euros, segundo revelou o Comitê de Contas Públicas da Câmara dos Comuns, que criticou também a falta de previsão em relação ao plano de segurança olímpico.

A cinco meses do início das Olimpíadas, o relatório parlamentar destacou que o custo total manejado até agora não inclui os 937 milhões de euros desembolsados para comprar os terrenos do Parque Olímpico de Stratford nem os 982 milhões de euros comprometidos em projetos para garantir o legado olímpico.

Além disso, em dezembro do ano passado, Londres decidiu dobrar o orçamento do dispositivo de segurança com o qual a capital britânica ficará blindada durante o evento, que alcança agora 658 milhões de euros.

O Comitê de Contas Públicas ressalta que ‘as estimativas do Comitê Organizador dos Jogos sobre a segurança nos recintos poderiam ter sido feitas com melhor informação desde muito antes, e essa falta de previsão anulou sua capacidade de negociar e reduzir os custos’.

O relatório considera que o cálculo inicial de que seriam necessários 10 mil agentes de segurança na área olímpica foi feito ‘de olho’, depois que o Executivo britânico estabeleceu finalmente há três meses um dispositivo de 23,7 mil policiais.


‘Estamos especialmente preocupados pelo aumento significativo no orçamento de segurança. O Comitê Organizador requer agora mais que o dobro de agentes. É surpreendente que os cálculos iniciais fossem tão incorretos’, afirmou a presidente do Comitê de Contas Públicas, Margaret Hodge.

Os parlamentares ainda expressam no relatório suas dúvidas sobre o plano para assegurar o legado olímpico de Londres 2012.

O relatório salienta as dúvidas sobre o futuro uso do Estádio Olímpico, depois que o acordo com o clube de futebol West Ham foi cancelado, assim como seu mal-estar pela falta de resultados dos programas para fomentar o esporte no Reino Unido.

Apesar de os planos originais falarem de envolver um milhão de pessoas na prática regular do esporte – uma meta que o governo do primeiro-ministro David Cameron já qualificou de exagerada -, a realidade é que o programa olímpico só conseguiu mudar os hábitos de 109 mil pessoas, segundo informação do Comitê Organizador.

Na opinião do comitê de Contas Públicas, esse resultado não justifica os milhões de euros investidos no fomento do esporte entre os cidadãos britânicos.