Oposição síria pede união de rebeldes na batalha de Qousseir

Os rebeldes lutam há dias por esse local

Beirute – O líder da oposição síria, George Sabra, pediu nesta quarta-feira aos rebeldes de todo o país que “compareçam correndo em resgate” ao reduto rebelde de Qousseir, pelo qual lutam há alguns dias as tropas do regime apoiadas por combatentes do Hezbollah libanês.

“Batalhões revolucionários e Exército Sírio Livre, corram ao resgate de Qousseir e Homs”, afirma Sabra em um comunicado no qual convoca todas as brigadas do país a enviar forças e armas, “mesmo que sejam pequenas”.

Sabra também pediu a criação de um corredor humanitário para ajudar a população de Qousseir.

“Pedimos à comunidade internacional a abertura de um corredor humanitário para resgatar os feridos e levar medicamentos e assistência às 50.000 pessoas sitiadas”, afirmou.

O opositor Observatório Sírio dos Direitos Humanos (OSDH), com sede em Londres, calcula que 25.000 civis estão retidos em Qousseir, além de outras milhares de pessoas ao redor da cidade da província de Homs (centro).

Sabra também pediu ao Conselho de Segurança da ONU a “convocação de uma reunião de emergência”.

“Estão violando as fronteiras e a soberania de nosso país e as vidas de seus cidadãos. Pedimos ao Conselho de Segurança que tome uma posição à altura da gravidade da situação”, disse.

O Hezbollah libanês enviou mais tropas de elite para lutar ao lado do exército sírio e tentar assumir o controle de Qousseir, uma intervenção que o governo dos Estados Unidos condenou e que levou a União Europeia a estudar a inclusão do braço armado do movimento xiita na lista de organizações terroristas.

Uma reunião grupo de “Amigos da Síria”, que inclui países que apoiam a oposição ao regime de Bashar al-Assad, acontece nesta quarta-feira em Amã para preparar a conferência internacional “Genebra II”, estimulada por Rússia e Estados Unidos.