Opep reduz previsão de demanda mundial de petróleo para 2012

A Opep avaliou em 88,76 milhões de barris diários a demanda de petróleo para 2012, contra 88,90 previstos há um mês

São Paulo – A Organização de Países Exportadores de Petróleo (Opep) reduziu nesta quinta-feira sua previsão de demanda mundial da commodity em 2012, devido às persistentes dificuldades econômicas da Eurozona e nos Estados Unidos.

Em seu relatório anual, a Opep avaliou em 88,76 milhões de barris diários (mbd) a demanda de petróleo bruto para 2012, contra 88,90 previstos há um mês.

Apesar de reduzido, o novo valor ainda representa um aumento de 0,94 milhões de barris diários em comparação com 2011, quando a demanda atingiu 87,82 milhões de bpd.

“O declínio das economias dos Estados membros da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) deve afetar negativamente o mercado de petróleo e tem gerado de muitas incertezas no curto prazo”, observou o cartel em seu relatório, apontando para “a preocupações sobre a economia dos Estados Unidos e para o problema da dívida na União Europeia (UE)”.

Segundo a Opep, os EUA vão se recuperar, mas sua situação econômica continua frágil, enquanto na região do euro ainda restam muitos desafios”, adverte a Opep, que reduziu o sua previsão de crescimento para a região de 0,2% para -0,2%, em 2012.

Os doze países da organização, que produzem cerca de 30% do petróleo mundial, esperam um aumento da procura por petróleo em países fora da OCDE, incluindo China, Índia, Oriente Médio e América Latina.

De acordo com a Opep, os preços do petróleo devem ser impulsionados no início de 2012 por bons indicadores econômicos vindos dos Estados Unidos e por renovadas tensões geopolíticas no Oriente Médio.

O preço do barril de referência da Opep alcançou 111,76 dólares por barril (84 euros) para o mês de janeiro, a maior média mensal desde abril de 2011.