ONU suspende envio de ajuda ao Mali devido a grupos armados

Foi suspenso envio de alimentos à cidade de Ménaka, na região malinesa de Gao, devido à presença de grupos armados rebeldes

Genebra – A ONU anunciou nesta sexta-feira que suspendeu temporariamente o envio de produtos alimentícios essenciais à cidade de Ménaka, na região malinesa de Gao, devido à presença de grupos armados rebeldes.

O envio, que consistia em cerca de 800 toneladas de mantimentos diversos, como cereais, legumes e óleo vegetal, serviria para cobrir as necessidades de 50 mil pessoas durante um mês, informou hoje uma porta-voz do Programa Mundial de Alimentos (PMA) em Genebra.

Gao, a maior cidade do norte do Mali, foi recuperada das mãos de grupos islamitas no último dia 26 de janeiro após a intervenção de tropas franco-malinesas, embora se reconheça que ainda existem facções islâmicas “residuais” na região.

O PMA afirmou que a presença desses elementos armados teve “impacto direto em suas operações” e que os envios que deviam partir de Niamey – capital do vizinho Níger – rumo a Ménaka, através de uma rota que cruza a fronteira, “foram suspensos até que a situação no terreno se resolva”.

A porta-voz do organismo da ONU, Elizabeth Byrs, afirmou que assim que a segurança for garantida, a mercadoria será enviada e levará dois dias para chegar ao seu destino.