ONU pede que se permita entrada regular de ajuda em Ghouta

Programa Mundial de Alimentos da ONU pediu que permitam a entrega de ajuda "de forma regular e segura"

Beirute – O Programa Mundial de Alimentos da ONU (PMA) pediu às partes enfrentadas em Ghouta Oriental, na Síria, que permitam a entrega de ajuda “de forma regular e segura”, depois que um comboio humanitário entrou hoje na região pela primeira vez desde a intensificação das hostilidades.

“Quando mais tempo Ghouta Oriental estiver privada das necessidades básicas, mais gente morrerá. Instamos todas as partes a permitir a distribuição de ajuda de forma regular e segura a todas as pessoas necessitadas, independentemente de onde estejam”, disse o representante do PMA na Síria, Jakob Kern, em um comunicado.

“Uma crise humanitária está se desenvolvendo em Ghouta Oriental, onde a intensa violência paralisou nossa resposta e capacidade de alcançar às famílias que necessitam de ajuda desesperadamente”, acrescentou Kern.

A nota salienta que, pela primeira vez em quatro meses, o PMA e seus parceiros humanitários chegaram hoje a Duma, maior cidade de Ghouta Oriental.

O texto detalha que o PMA entregou hoje farinha de grãos para 27.500 pessoas e provisões nutricionais para 300 menores, já que há estudos recentes sobre segurança alimentar que apontam que a desnutrição severa está estendida de forma ampla em Duma.

Além disso, trabalhadores humanitários fizeram avaliações médicas e sobre a situação nutricional em Duma.

O PMA reiterou que há planos de levar outro comboio a Ghouta Oriental na próxima quinta-feira.

O comboio desta segunda-feira foi organizado pela ONU, o Comitê Internacional da Cruz Vermelha (CICR) e o Crescente Vermelho da Síria.

É a primeira vez que uma carga humanitária chega a Ghouta Oriental desde o início de uma ofensiva governamental na região no último dia 18 de fevereiro.