ONU pede ações baseadas na filosofia de Gandhi

Ban Ki-moon lembrou que o líder indiano, pelo seu exemplo, provou que protestos pacíficos podem surtir muito mais efeito do que a agressão militar

Brasília – No Dia Internacional da Não Violência, lembrado hoje (2), o secretário-geral da Organização das Nações Unidas (ONU), Ban Ki-moon, defendeu que o mundo adote ações baseadas na filosofia de não violência de Mahatma Gandhi.

Em uma mensagem, Ban Ki-moon lembrou que o líder indiano, pelo seu exemplo, provou que protestos pacíficos podem surtir muito mais efeito do que a agressão militar. “Os princípios consagrados na Declaração Universal dos Direitos Humanos, adotada em 1948, o ano da morte de Gandhi, devem muito a suas crenças”, disse.

O secretário-geral destacou também que, no atual momento de aumento da violência sectária, é oportuno recordar o chamado de Gandhi para a paz e a reconciliação, bem como sua advertência de que, adotando a filosofia de olho por olho, o mundo acabará cego.

Ban Ki-moon defendeu a promoção de uma cultura de paz, construída por meio do diálogo e do entendimento, respeitando e celebrando a rica diversidade da humanidade. “Não há maior ferramenta do que a educação para ampliar a dignidade humana, promover uma cultura de não violência e construir a paz duradoura.”

“Neste dia, eu convoco todas as pessoas para combater as forças da intolerância, avançar a cidadania global e forjar a solidariedade humana com base na filosofia de Mahatma Gandhi da não violência”, disse o secretário.