ONU pede a vizinhos da Líbia que sejam solidários com possíveis refugiados

Porta-voz pediu aos países que mostrem generosidade e espírito humanitário com as pessoas que estão sofrendo no conflito

Genebra – A ONU pediu nesta terça-feira aos países em geral, e especialmente aos vizinhos da Líbia, que mostrem solidariedade e não rejeitem os possíveis refugiados que deixem o país, afetado pela violenta repressão às manifestações contra o regime de Muammar Kadafi.

“Por favor, não os rejeitem”, pediu a porta-voz do Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (Acnur), Melissa Fleming, em referência à possibilidade de refugiados líbios e de outras nacionalidades tentarem deixar a Líbia na busca por um local seguro.

A porta-voz pediu aos países que mostrem “generosidade e espírito humanitário com as pessoas que estão sofrendo um trauma tão grande”.

A porta-voz explicou que a Acnur está preocupada com os civis líbios e com os refugiados e solicitantes de asilo de diferentes origens que vivem no país.

Segundo a Acnur, três mil refugiados ou solicitantes de asilo, provenientes principalmente de territórios palestinos, Sudão, Iraque, Eritreia, Somália e Chade vivem na Líbia.

Ela revelou que se sabe de casos de somalis que estão sendo perseguidos em Trípoli porque se suspeita que possam ser mercenários.

A porta-voz ressaltou que estas pessoas permanecem escondidas e evitam sair às ruas, apesar de precisarem comprar alimentos.