OMC não chega a acordo sobre liberalização agrícola

Não foi possível nem mesmo redigir um esboço consensual. Com isso, países em desenvolvimento devem bloquear a redução das tarifas incidentes sobre bens industriais

As negociações para a liberalização do comércio agrícola chegaram a novo impasse ontem. Para o jornal britânico Financial Times, isso reduz drasticamente as já pequenas chances de um grande avanço na Rodada de Doha de conversações para derrubar barreiras ao livre comércio, patrocinadas pela Organização Mundial do Comércio (OMC).

Um caminho bloqueado na área agrícola leva à indisposição dos países em desenvolvimento de reduzir suas tarifas incidentes sobre bens industriais.

Os representantes queriam chegar a um esboço de acordo até o final desta semana, antes do recesso da organização. Mas as posições dos países sobre corte de tarifas e revisão de subsídios ainda estão muito distantes, diz a reportagem.

O coordenador das negociações, o embaixador neozelandês Tim Groser, reconheceu que não conseguiu elaborar um esboço que levasse ao consenso. A União Européia (UE) continua recusando cortes tarifários e os Estados Unidos resistem a fazer concessões em subsídios domésticos para seus agricultores.

Um dos diplomatas ouvidos pelo Financial Times afirmou que a OMC espera que UE e Estados Unidos “mostrem alguma liderança” quando a organização voltar a se reunir, em setembro.