“Ocupe Wall Street” completa 1 ano com prisões em Nova York

Mobilizações ocorreram no centro financeiro americano. Um dia antes, artistas como o guitarrista Tom Morello, da banda Rage Against the Machine, manifestaram apoio

São Paulo – Protestos em Wall Street, na cidade de Nova York, acabaram em detenções, um ano após o começo das manifestações que deram origem ao movimento chamado de "Ocupe Wall Street". A mobilização tenta hoje cercar a bolsa de valores NYSE e atrapalhar as horas mais movimentadas do pregão. Manifestantes levaram um bolo de aniversário e contam com apoio de artistas como Tom Morello, da banda de rock Rage Against the Machine, e do músico Chad Stokes Urmston.

De acordo com a agência Reuters, a polícia de Nova York não cedeu licenças para os protestos de hoje. Por esse motivo, manifestantes estão sendo presos pelas autoridades na mobilização que critica o sistema financeiro americano.

O movimento "Ocupe Wall Street" ganhou destaque na imprensa mundial com o slogan "nós somos os 99%", que faz referência à concentração de riqueza nas mãos de poucos americanos no país. A inspiração dos protestos veio da Primavera Árabe, que derrubou regimes totalitários a partir da Tunísia em dezembro de 2010. Com a ocupação em Nova York iniciada no dia 17 de setembro de 2011, outros manifestantes de outras cidades iniciaram movimentos similares.

Clique nas fotos para ver as detenções e as mobilizações um ano após o início do "Ocupe Wall Street".