OCDE prevê crescimento de países ricos e desaceleração da China

Organização elogia principalmente o crescimento de Alemanha e Estados Unidos

Paris – As projeções da Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Econômico (OCDE) para fevereiro antecipam uma aceleração do crescimento na maior parte dos países ricos e uma possível moderação da atividade econômica na China.

“Os indicadores compostos avançados pretendem antecipar os pontos de inflexão da atividade econômica a respeito de suas tendências”, destaca um comunicado da OCDE.

“Os indicadores continuam marcando uma expansão na maioria dos países da OCDE”, integrada por 34 países, em sua grande maioria entre os mais ricos do mundo.

Particularmente na Alemanha e Estados Unidos os dados “seguem mostrando de maneira vigorosa uma expansão a respeito da tendência”, acrescenta o texto.

O documento afirma ainda que no Canadá e na França mostram um possível retorno da dinâmica de crescimento. Na Grã-Bretanha uma expansão a ritmo lento, mas estável.

A Itália mostra perda da dinâmica de crescimento da atividade econômica.

Sobre o Japão, a OCDE considera que as “circunstâncias excepcionais” – terremoto e tsunami – tornam impossível apresentar estimativas confiáveis.

A OCDE também analisa a situação de países emergentes que não integram a organização.

A instituição menciona uma possível moderação da atividade econômica da China.

Também afirma que o Brasil mantém a atividade econômica “perto de seu potencial de longo prazo” e que a Índia segue demonstrando desaceleração.