Obama vai ao Wisconsin e Romney tenta levantar capital

Romney, que enfrenta críticas dentro de seu próprio partido sobre sua estratégia, está evitando Estados considerados decisivos

Washington – O presidente dos EUA, Barack Obama, está se movendo para conquistar apoio em um Estado americano importante, enquanto trava uma disputa com o candidato republicano Mitt Romney sobre como transformar uma cultura política extremamente dividida e como assegurar a segurança financeira e a saúde dos americanos idosos. Com o primeiro debate entre eles marcado para menos de duas semanas, suas campanhas começaram a adquirir um ritmo acelerado, com os candidatos dando a qualquer frase do rival grande importância e dissecando velhas lutas políticas.

Obama viaja neste sábado para o Wisconsin, considerado por sua campanha um Estado seguro em sua coluna. No entanto, os assistentes do presidente parecem ansiosos em fortificar o apoio na região, em antecipação à possibilidade de o candidato republicano à vice-presidência dos Estados Unidos, Paul Ryan, erodir o apoio à Obama. A viagem de Obama é a primeira ao Wisconsin desde fevereiro.

Romney, que enfrenta críticas dentro de seu próprio partido sobre sua estratégia, está evitando Estados considerados decisivos e, em vez disso, tenta captar dinheiro na Califórnia. Ele está ansioso para recuperar sua vantagem de financiamento em relação à Obama. No mês passado, pela primeira vez, o presidente e o Partido Democrata arrecadaram mais que Romney e o Partido Republicano.

Obama inicia o fim de semana com as pesquisas mostrando que está com uma diferença pequena em relação a Romney nacionalmente. Mas uma nova pesquisa do Wall Street Journal/NBC News/Marist mostra que o presidente lidera entre os prováveis eleitores em 8% em Iowa, 5% no Colorado e 5% no Wisconsin, Estados considerados decisivos. Pesquisas publicadas no início desta semana apontaram que Obama liderava nos Estados de Virginia e Ohio. As informações são da Associated Press.