Obama retoma campanha em Wisconsin ”inspirado”

Líder lamentou a ''devastação'' provocada pela tormenta, mas assegurou que também saiu ''inspirado'' da visita que fez na quinta-feira às áreas devastadas

Washington – O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, escolheu Wisconsin, um estado-chave no qual tem ligeira vantagem sobre o republicano Mitt Romney, para retomar a campanha eleitoral nesta quinta-feira após três dias centrado na resposta à tempestade ”Sandy”.

A cinco dias das eleições e diante de várias pessoas no aeroporto de Green Bay (Wisconsin), o líder lamentou a ”devastação” provocada pela tormenta, mas assegurou que também saiu ”inspirado” da visita que fez na quinta-feira às áreas devastadas junto com o governador republicano de Nova Jersey, Chris Christie.

”Quando chega um desastre, vemos os Estados Unidos em sua melhor forma. Todas as nímias diferenças que nos consomem em tempos normais parecem desvanecer-se. Durante as tempestades, não somos democratas nem republicanos, somos apenas americanos”, declarou o presidente, que viajará para Nevada e Colorado ainda hoje.

No entanto, Obama não demorou a deixar os afagos à unidade política e atacar Romney, em discurso centrado em seu resgate do setor automotivo e suas propostas para impulsionar a classe média e lutar pelos desempregados.

”Nas últimas semanas, Romney empregou todos seus talentos como vendedor para disfarçar as mesmas políticas que nos levaram à recessão e oferecê-las como mudança. Mas sabemos como é a mudança, e ela não é assim”, ressaltou.

Em um discurso forte, Obama acusou seu rival de apostar no ”cinismo” e não na ”decência dos americanos” e de ”não responder perguntas sobre suas próprias políticas”.

”A mudança é virar finalmente a página após uma década de guerras para estabilizar-nos um pouco e construir o país”, ressaltou o presidente americano, que afirmou também que ”a mudança é continuar um legado de inovação e reduzir o déficit, mas para isso temos que pedir aos ricos que façam sua parte”.


”Durante oito anos tivemos um presidente que compartilhava estas crenças. Seu nome era Bill Clinton. Pediu aos ricos que pagassem um pouco mais para poder financiar a educação e a inovação. E um dos que lhe criticou na época agora concorre para ser presidente”, disse em referência ao candidato republicano.

Clinton, transformado em ”suplente” de Obama durante os três dias nos quais o líder cancelou seus atos por causa da tempestade, se transformou em um dos pilares da campanha, dado o crescimento econômico que viveu o país durante seu mandato.

Obama fará campanha no sábado junto com o ex-presidente em Bristow (Virgínia), naquele que será o primeiro ato conjunto de ambos na corrida eleitoral, depois que a passagem de ”Sandy” obrigasse a suspensão de um esperado evento dos dois na segunda-feira em Ohio.

Wisconsin, um estado que conta com 10 votos no colégio eleitoral, quase não recebeu visitas de Obama no início da campanha, mas nas últimas semanas sua equipe intensificou os esforços ali e alguns meios de comunicação locais antecipam mais dois atos do líder antes das eleições, no sábado e na segunda-feira.