Obama pede perdão por plano de saúde após reforma

Presidente pediu perdão aos cidadãos que terão que mudar seus planos de saúde para cumprir os padrões da reforma da saúde

Washington – O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, pediu perdão nesta quinta-feira aos cidadãos que terão que mudar seus planos de saúde para cumprir os padrões da reforma da saúde promulgada em 2010, após ter prometido durante muito tempo que poderiam mantê-los se estivessem satisfeitos com eles.

“Sinto que (esses cidadãos) tenham se encontrado nesta situação (de acreditar que podiam manter seu seguro) com base nas garantias que receberam de mim”, disse Obama em uma entrevista ao canal “NBC”.

“Temos que trabalhar duro para assegurar-nos que sabem que lhes escutamos e vamos fazer todo o possível por essas pessoas que se encontram em uma posição difícil”, prometeu o líder.

Desde que a reforma da saúde foi promulgada em 2010 Obama e seus assessores estiveram prometendo que os cidadãos poderiam manter seus atuais planos de saúde se estivessem satisfeitos com eles.

Mas a realidade é que a reforma estabelece uma série de padrões mínimos e, se um seguro não os cumpre, deve ser substituído por outro dos oferecidos nos novos mercados lançados no último dia 1º de outubro.

Milhões de americanos já receberam notificações para cancelar seus seguros e substituí-los por novos planos, em alguns casos mais caros.

Segundo a Casa Branca, apenas 5% dos americanos (cerca de 15 milhões de pessoas) terão que mudar de seguro médico para cumprir os padrões da reforma da saúde, considerada uma das maiores conquistas do mandato de Obama.

Mas a aplicação dessa reforma, que representa a maior transformação do sistema de saúde no meio século, está registrando vários problemas, entre eles os erros no site que deve servir para adquirir os novos seguros médicos.

Os erros nesse portal, que segundo o governo funcionará em sua plenitude no final deste mês, estão sendo usados pelos republicanos para atacar a reforma, sobre cujos benefícios a sociedade americana está muito dividida.