Obama elogia o ‘made in America’ a nove meses das eleições

O presidente americano elogiou a renovação do setor industrial americano

Washington – O presidente Barack Obama comemorou a incipiente renovação do setor industrial americano ao iniciar uma viagem de três dias pelo norte e oeste do país, nove meses antes das eleições presidenciais.

“Hoje, pela primeira vez, esta fábrica funciona em plena capacidade, um formidável exemplo do que pode acontecer quando os sindicatos e os empresários atuam juntos para criar bons empregos”, exclamou o presidente em uma fábrica de cadeados Master Lock em Milwaukee (Wisconsin, norte).

“Hoje vocês vendem diretamente a clientes na China produtos com a legenda: “Made in America”, destacou Obama, que na véspera, se reuniu com o vice-presidente chinês Xi Jinping, que visitou a Casa Branca, expressou seu desejo de que Pequim respeite “a regulamentação vigente” em matéria de trocas comerciais.

“Pela primeira vez desde a década de 1990, o setor manufatureiro americano criou empregos. É bom para as empresas, mas também para a cadeia de fornecedores”, se alegrou Obama, renovando seu pedido para equilibrar os impostos às empresas para encorajar a criação de emprego nos Estados Unidos.

Wisconsin é um dos centros históricos da produção americana e é também uma região importante no mapa eleitoral: Obama ganhou ali com 14 pontos de vantagem em 2008, mas foi um republicano que foi eleito governador em 2010.

Na sexta-feira Obama é esperado em Everett, nos subúrbios de Seattle ( Washington, noroeste) onde visitará a gigante fábrica da Boeing e insistirá na necessidade de apoiar as exportações.

Nessa viagem, Obama participará também de pelo menos oito reuniões de arrecadação de fundos para financiar sua campanha, principalmente em Los Angeles e San Francisco, na Califórnia (oeste), um Estado com forte maioria democrata.

Ela será realizada diante das boas notícias econômicas para a administração democrata: a taxa oficial de desemprego caiu 8,3% da população ativa em janeiro, seu nível mais baixo em três anos.

Segundo uma pesquisa do New York Times-CBS publicada na terça-feira, a confiança de Obama subiu a 50% e 42% das pessoas interrogadas consideram que ele conseguiu avanços para melhorar a economia, em uma alta de 14 pontos em relação a dezembro.