Obama e Romney baixam o tom e fazem brincadeiras em jantar

Dois dias após um tenso segundo debate na TV, os candidatos se encontraram no salão do hotel Waldorf Astoria, em Nova York, em um jantar beneficente

Washington – Em uma rara mudança de tom a 19 dias das eleições, o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, e seu rival republicano, Mitt Romney, trocaram brincadeiras na noite desta quinta-feira durante um jantar no qual o primeiro optou pela autocrítica e o segundo, pelo humor incisivo e sarcástico.

Dois dias após seu tenso segundo debate televisionado, Obama e Romney se encontraram no salão do hotel Waldorf Astoria, em Nova York, em um jantar beneficente que desde 1960 reúne tradicionalmente os candidatos a dias das eleições.

Romney foi o primeiro a dirigir-se ao público, fazendo uma referência a suas vestimentas, um fraque preto com gravata borboleta branca, quase idêntico ao de Obama.

“Uma campanha requer muitas mudanças de vestuário. É um alívio poder relaxar e finalmente usar o que (minha mulher) Ann e eu usamos em casa”, brincou o rico ex-governador de Massachusetts.

Em uma leve alfinetada, o candidato lamentou que Obama não tivesse levado ao jantar o vice-presidente Joe Biden, “porque ele ri de qualquer coisa”, em alusão ao constante sorriso de Biden durante o debate vice-presidencial contra o republicano Paul Ryan.

Seguro de si, Romney assegurou que Obama “está nos últimos meses de sua Presidência” e lembrou que ambos têm pessoas nas quais podem se apoiar.

“Eu tenho a minha preciosa mulher Ann, ele tem (o ex-presidente dos EUA) Bill Clinton”, ironizou.

Já Obama iniciou seu discurso pedindo “por favor, ocupem seus assentos ou Clint Eastwood gritará na direção deles”, em referência à atuação do veterano ator e diretor durante a Convenção Nacional Republicana, em agosto.

A partir daí, Obama concentrou a maioria de suas brincadeiras em sua má atuação no primeiro debate presidencial.

“Tinha mais energia no segundo debate. Estava muito descansado após o longo cochilo que tirei durante o primeiro”, riu o líder americano.


No entanto, nem tudo foi autocrítica para Obama, que não duvidou em lembrar que tem uma vantagem para o debate da próxima segunda-feira, centrado apenas em política externa.

“Posso antecipar algo: acabamos com Bin Laden”, ressaltou o presidente.

Os dois rivais encerraram seus discursos com comentários amáveis. Romney lembrou que Obama tem “muitas qualidades e uma preciosa família, que deixaria qualquer homem orgulhoso”; já o líder disse que admira o seu adversário “como homem de família e pai, dois títulos que contam mais que os políticos”.