Obama e candidato a vice de Romney travam duelo eleitoral

Obama criticou Paul Ryan por ser o ideólogo daquelas que tachou de errôneas políticas econômicas e sociais de seu partido

Washington – O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, e o virtual candidato republicano à vice-presidência, Paul Ryan, travaram um duelo eleitoral à distância nesta segunda-feira no estado de Iowa, onde desacreditaram mutuamente suas diferentes visões econômicas para o país.

Obama criticou Ryan por ser o ideólogo daquelas que tachou de errôneas políticas econômicas e sociais de seu partido. O presidente se referiu ao legislador de Wisconsin, de 42 anos, como ”o líder ideológico dos republicanos no Congresso”.

O de hoje foi o primeiro ato eleitoral individual de Ryan, que foi anunciado no sábado como vice de Romney durante um ato conjunto de ambos no estado da Virgínia.

Ryan, por sua parte, declarou hoje que é preciso deixar de ampliar o déficit e assegurou que não se deve perseguir um estado de bem-estar como o europeu, ao qual culpou pela crise do Velho Continente.

O congressista, integrante da ala mais conservadora de seu partido, criticou Obama por não pensar na sustentabilidade dos programas sociais e em deter o aumento do déficit.

Já o presidente quis vincular Ryan com as políticas econômicas republicanas, que não ”têm um plano para criar empregos”, mas para ”reduzir regulações a grandes corporações e cortar impostos aos mais ricos”.


”É um bom homem, um homem de família. É também um porta-voz da visão do governador Romney. O problema é que é uma visão com a qual estou em desacordo”, disse Obama sobre Ryan no início de sua viagem eleitoral em ônibus de três dias por Iowa.

Os responsáveis pela campanha de Obama não foram tão condescendentes e tacharam Ryan de ”radical e extremista” em assuntos econômicos.

Em um ato eleitoral na Flórida, Romney defendeu seu companheiro de campanha e assegurou que ”o que é radical e extremista é gastar US$ 1 trilhão a mais do que arrecada todo ano”, em referência à política econômica de Obama.

Apesar de tudo, em Iowa, o candidato a vice-presidente não duvidou em lançar mão de seu lado mais conservador.

”O Estados Unidos são o único país fundado em uma ideia”, ressaltou, ”o princípio básico estabelecido pelos fundadores é que nossos direitos vêm de Deus e não do governo”.