Obama diz a Romney que obrigação é ‘trabalhar para todos’

Obama assegurou hoje que ''uma das coisas que aprende como presidente é que representa a todo o país''

Washington – O presidente americano, Barack Obama, disse nesta terça-feira que a obrigação de um presidente é ”trabalhar para todos” em resposta a um vídeo vazado que mostra seu rival republicano, Mitt Romney, se referindo de forma depreciativa a 47% dos eleitores por serem ”dependentes” das ajudas do governo.

Na gravação de uma entrevista a David Letterman em Nova York, Obama assegurou hoje que ”uma das coisas que aprende como presidente é que representa a todo o país”.

Nesta segunda-feira o site da revista de tendência progressista ”Mother Jones” publicou um vídeo gravado com uma câmera escondida em um jantar privado de Romney com doadores, no último dia 17 de maio, em Boca Raton (Flórida), que causou grande polêmica nos EUA.

No jantar, o republicano comenta que 47% dos americanos votarão em Obama porque ”acham que são vítimas, que o governo tem a responsabilidade de cuidar deles, que têm direito a saúde, alimentação, casa ou como queiram chamar”.

”Meu trabalho não é preocupar-me com essas pessoas. Nunca os convencerei que deveriam assumir sua responsabilidade e preocupar-se com suas vidas”, acrescenta o republicano.

O presidente declarou hoje na entrevista a Lettermnan que ”todos cometemos erros; no entanto, o que as pessoas querem saber é que não você não está eliminando uma grande parte do país pela maneira como funciona nossa democracia”.

”Uma coisa que nunca tentei fazer e acho que nenhum de nós pode fazer em um cargo público é sugerir que, se alguém não está de acordo comigo, são vítimas e não são patriotas”, comentou Obama.

”Temos obrigações uns com os outros e não há nada ruim em estender-nos a mão”, opinou o líder, ao mesmo tempo em que lembrou que quando ganhou as eleições em 2008, 47% do país votou no candidato republicano John McCain.

”Não há muita gente aí fora que acredite que são vítimas ou que achem que devem receber ajudas sociais”, acrescentou o presidente.

Em entrevista hoje à emissora ”Fox News”, Romney não pediu desculpas por suas declarações, mas as suavizou assegurando que acredita ”nas pessoas livres e na livre empresa, não na redistribuição”.