Obama condena agressão russa em reunião com Poroshenko

"Infelizmente, o que vimos também foi uma agressão russa, primeiro na Crimeia e, mais recentemente, em partes do leste da Ucrânia", disse o presidente dos EUA

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, condenou nesta quinta-feira a “agressão” da Rússia à Ucrânia ao receber o líder ucraniano Petro Poroshenko na Casa Branca.

Obama também felicitou Poroshenko por sua “difícil” decisão de conceder mais autonomia a uma região do leste separatista do país como parte do plano de paz estabelecido com a Rússia.

Sentado ao lado de Poroshenko no Salão Oval, Obama destacou o papel de liderança desempenhado pelo ucraniano, que, segundo o presidente dos EUA, foi “fundamental em um momento muito importante para a história da Ucrânia.”

“Infelizmente, o que vimos também foi uma agressão russa, primeiro na Crimeia e, mais recentemente, em partes do leste da Ucrânia.”

Obama disse que as ações da Rússia violaram a soberania da ex-república soviética e foram projetadas também para comprometer os esforços de Poroshenko por reformas.