Números de menores mortos na Palestina chega a 469

Dados foram divulgados nessa quinta-feira (21) pelo Unicef

Nações Unidas – Pelo menos 469 menores morreram em Gaza desde que explodiu o último conflito bélico e centenas de milhares precisam de ajuda psicológica e social, informou nesta quinta-feira o Unicef.

“Estão em um estado de trauma”, afirmou a chefe do escritório do Unicef em Gaza, Priscilla Ironside, em entrevista coletiva na sede das Nações Unidas na qual fez um repasse do conflito que explodiu em julho e seu impacto nos menores.

Segundo informou, nas últimas 48 horas morreram mais nove crianças no conflito entre palestinos e israelenses, o que eleva provisoriamente o número de vítimas mortais entre os menores a 469, embora outros casos estejam sendo verificados.

Ironside disse, além disso, que cerca de três mil crianças de Gaza ficaram feridos no conflito, e formam uma grande proporção das cerca de 400 mil pessoas deslocadas na Faixa desde que explodiu o conflito, no último dia 8 de julho.

Também disse que, além dos danos físicos, os menores em Gaza estão sofrendo um impacto emocional e psicológico pela perda de familiares e pelos danos de infraestrutura na Faixa, entre outras razões.

“A única coisa que as crianças querem é ter um sentimento de segurança”, acrescentou Ironside.

A funcionária do Unicef explicou que, coincidindo com as férias de verão, 200 escolas de Gaza estão sendo usadas como refúgio para os deslocados pelo conflito, mas muitas delas sofreram danos severos.

Equipes internacionais atenderam cerca de três mil menores pelos danos psicológicos que sofreram, mas ainda é preciso atender outros 373 mil, segundo cálculos do Unicef.

Ironside lembrou que, antes do conflito, 80% dos moradores de Gaza requeria algum tipo de ajuda. EFE