Número de mortos por ciclone em Moçambique chega a 446

O ciclone Idai devastou a cidade portuária de Beira com ventos de até 170 quilômetros por hora, depois entrou continente adentro atingindo Zimbábue e Malaui

Beira – Moçambique registrou mais mortes por causa de um ciclone e enchentes no sul da África, disse um ministro do governo neste domingo (24), com centenas abandonados em acampamentos depois que casas foram destruídas.

O ciclone Idai devastou a cidade portuária de Beira com ventos de até 170 quilômetros por hora, depois entrou continente adentro atingindo Zimbábue e Malaui.

O ministro da Terra e Meio Ambiente de Moçambique, Celso Correia, disse a jornalistas que o número de mortos subiu de 417, para 446, acrescentando que 531 mil pessoas foram afetadas pelo desastre e 110 mil estavam em acampamentos.

A tempestade também matou várias pessoas no Zimbábue, com a agência de imigração da Organização das Nações Unidas relatando que 259 pessoas foram mortas, enquanto o braço humanitário da ONU disse que o número de mortos é de 154.

A Reuters não pôde contatar imediatamente autoridades no Zimbábue.

No Malaui, 56 pessoas morreram por causa das fortes chuvas que vieram antes do ciclone.