Novo presidente chinês promete manter-se firme no comunismo

Xi Jinping disse que as novas medidas do governo serão tomadas em respeito aos princípios do Partido Comunista Chinês e do Parlamento

Brasília – O futuro presidente da China, Xi Jinping, que é atualmente secretário-geral do Comitê Central do Partido Comunista Chinês (PCC), reuniu hoje (16) a nova equipe para definir as prioridades políticas, econômicas e sociais. Em nota oficial, ele disse que seguirá os princípios do comunismo com características chinesas e do respeito ao Parlamento.

“[Foi] uma reunião extremamente importante, convocada na fase decisiva da construção de uma sociedade moderadamente próspera em todos os aspectos”, informa o texto, acrescentando que as medidas serão tomadas em respeito aos princípios do Partido Comunista Chinês e do Parlamento.

Ontem (15) foi anunciada a formação do novo comando político da China durante o 18º Congresso Nacional do PCC, que começou dia 8. A escolha foi definida por 2.307 delegados. Xi Jinping assume no lugar de Hu Jintao a partir de 2013. Como primeiro-ministro será nomeado Li Keqiang, em substituição ao atual titular Wen Jibao.

Ao encerrar o congresso, Hu Jintao apelou para que todos trabalhem seguindo “o caminho do socialismo com características chinesas”. Segundo ele, é fundamental promover reformas, buscar a superação de dificuldades e criar um ambiente de prosperidade.

No dia 14, o ministro das Relações Exteriores, Antonio Patriota, disse que a relação entre o Brasil e a China permanecerá intensa e inalterada, mesmo com o anúncio de mudanças na cúpula política chinesa. Patriota acrescentou que está em vigência o Plano Decenal de Cooperação entre o Brasil e a China nas áreas de comércio, cultura, agricultura, ciência, educação, tecnologia e inovação.

“Acompanhamos com muito interesse tudo que se passa na China, um parceiro estratégico do Brasil, mas temos plena confiança de que continuaremos desenvolvimento uma relação intensa e cordial em todos os planos”, ressaltou o chanceler. “Temos plena confiança de que o governo chinês implementará com muito entusiasmo esse plano decenal.” Com informações da agência estatal de notícias da China, Xinhua.