Nova York determina primeiras evacuações por furacão Irene

O fenômeno está a caminho de ser o primeiro furacão a varrer a maior cidade dos Estados Unidos em décadas

Nova York – Nova York determinou nesta quinta-feira as primeiras evacuações diante da possível chegada de Irene, que está a caminho de ser o primeiro furacão a varrer a maior cidade dos Estados Unidos em décadas.

O prefeito da cidade, Michael Bloomberg, anunciou a evacuação de hospitais e de outras instituições vulneráveis para zonas mais baixas de Nova York.

“Os asilos de idosos e de cidadãos (desfavorecidos) e alguns hospitais devem ser evacuados”, destacou Bloomberg, acrescentando que tudo estará concluído até a sexta-feira.

Na manhã de sábado, a prefeitura decidirá se determina a evacuação de outros residentes da cidade que moram em áreas de risco como a costa do Brooklyn, a ponta de Manhattan e partes de Staten Island, revelou Bloomberg. “É muito provável que na manhã de sábado haja a saída da população destas áreas”.

Bloomberg anunciou que, na pior das hipóteses, algumas regiões “relativamente pequenas” da cidade de mais de 8 milhões de habitantes poderão ser evacuadas, mas garantiu que os célebres arranha-céus da “Big Apple” não estão ameaçados.

O maior perigo, destacou, serão as inundações e as quedas de árvores no caso de chuvas torrenciais sobre um solo já empapado por várias semanas de chuvas.

“Os grandes edifícios foram concebidos para suportar ventos muito fortes”, completou, apesar de advertir que “alguns tijolos podem cair”.

O governador do estado de Nova York, Andrew Cuomo, declarou o estado de emergência diante da aproximação de Irene.

“Neste estado de emergência, estou ativando todos os níveis do governo para nos prepararmos para eventuais situações que possam ser causadas pelo furacão Irene”, disse Cuomo.

Espera-se que o furacão suba rapidamente pela costa leste dos Estados Unidos e alcance a cidade de Nova York entre sábado e domingo, antes de seguir seu caminho rumo ao norte.

“Estamos em comunicação com nossos colegas federais e locais para seguir o rastro da tempestade e planejar uma resposta coordenada, e mobilizaremos os recursos que forem necessários nessas áreas nas quais se espera um impacto mais forte”, afirmou o governador.

“Peço que todos os nova-iorquinos que se preparem para o furacão e cooperem com os funcionários dos serviços de emergência caso for necessário. Trabalhando juntos, seremos capazes de enfrentar essa tempestade de uma forma tranquila e organizada”.

“O último furacão que atingiu diretamente Nova York foi o Glória, em setembro de 1985”, e varreu brevemente Long Island como fenômeno de grau um, disse à AFP Dennis Feltgen, porta-voz do NHC.

“Este é diferente porque avança lentamente, o que significa que o impacto pode ocorrer por um período mais prolongado e em uma área mais ampla”, explicou Feltgen, acrescentando que entre as cidades que podem ser afetadas estão Washington, Baltimore, Boston e Nova York.