Nova onda de violência deixa 49 mortos no Iraque

Pelo menos 43 pessoas foram mortas e mais de 100 ficaram feridas em uma série de ataques na capital iraquiana

Bagdá – Pelo menos 43 pessoas foram mortas e mais de 100 ficaram feridas em uma série de ataques na capital iraquiana nesta quarta-feira, afirmaram as autoridades.

As forças de segurança adotaram importantes medidas nas áreas dos ataques e, em muitos casos, os fotógrafos e cinegrafistas não foram autorizados a registrar os atentados.

Até o momento, nenhum grupo reivindicou a autoria dos ataques, mas os insurgentes próximos à rede extremista Al Qaeda são, em muitos casos, os responsáveis por este tipo de ataques coordenados contra xiitas, que eles consideram hereges.

Vários ataques, a maioria contra bairros xiitas de Bagdá, deixaram 49 mortos e mais de 100 feridos nesta quarta-feira em uma nova escalada da violência no país.

Nenhum grupo reivindicou a autoria imediata dos ataques, mas insurgentes ligados à rede extremista sunita Al-Qaeda costumam assumir esse tipo de atentado contra os xiitas.

Pelo menos oito explosões, incluindo sete carros-bomba, aconteceram por volta das 7h30 (2h30 de Brasília), sobretudo, nos bairros de Karrada (centro), Chaab (nordeste) e Sadriyah (centro), um dos mais antigos da capital – disseram fontes médicas e de Segurança.

Segundo as mesmas fontes, pelo menos 36 pessoas morreram nesses atentados.

Em Karrada, a explosão aconteceu perto de uma concessionária de carros, onde os xiitas celebravam a Achura.

“Várias pessoas estavam reunidas na concessionária, quando, de repente, um carro explodiu 20 metros à frente”, declarou Ahmed Abu Ali, de 40 anos, funcionário do estabelecimento.

Um carro-bomba também foi detonado no bairro de maioria sunita de Azamiyah, ao norte.

Em um ataque separado na cidade normalmente tranquila de Suleimaniyeh, na região autônoma do Curdistão (norte), homens armados mataram o chefe da segurança do presidente iraquiano, Jalal Talabani, acrescentou um porta-voz da polícia.

Três homens invadiram a casa do coronel Sarwat Rachid, onde ele foi abatido com três tiros na cabeça, diante de sua mulher, completou o porta-voz.

Tiros em Bagdá e na principal cidade do norte, Mossul, assim como atentados em Abu Ghraib, ao oeste da capital, e em Buhruz, ao nordeste de Bagdá, deixaram 12 mortos.

Três corpos com vestígios de balas também foram descobertos perto de Baquba, ao norte de Bagdá, disseram fontes de segurança.

Com isso, sobe para 300 o número de mortos em novembro no Iraque. Desde o início do ano, já são mais de 5.700 vítimas fatais. Outubro foi o mês mais violento desde abril de 2008, com 964 mortos, de acordo com números oficiais.