Nova geração republicana surge por trás de Paul Ryan

O jovem presidente da importante comissão do Orçamento da Câmara dos Representantes investe em busca do público jovem, que vota em peso em Obama

Washington – Com Paul Ryan, legislador de 42 anos e companheiro de chapa de Mitt Romney para a Casa Branca, surge uma nova geração de republicanos, determinados a seduzir os jovens americanos que votaram em peso no presidente Barack Obama em 2008.

“Aceito o apelo de minha geração, para dar a nossos filhos os Estados Unidos que nós herdamos”, disse Ryan na noite de quarta-feira em seu discurso de aceitação da candidatura à vice-presidência para as eleições de 6 de novembro, durante a convenção republicana em Tampa, Flórida (sudeste).

“Vamos resolver os problemas econômicos deste país”, disse Ryan, o jovem presidente da importante comissão do Orçamento da Câmara dos Representantes, que defende uma redução maciça dos gastos públicos.

Nesta quinta-feira, o senador pela Flórida, Marco Rubio, de 41 anos, outro símbolo da renovação do Partido Republicano, é o encarregado de apresentar Mitt Romney, de 65, que fará o seu discurso de aceitação da candidatura presidencial, ponto culminante da convenção que começou na terça-feira.


Durante a convenção é possível observar jovens que tentam mudar a imagem envelhecida do partido, como Aaron Schock, que aos seus 31 anos é o legislador mais jovem do Congresso.

Com um largo sorriso e vestindo-se de forma impecável, o único legislador nascido na década de 1980, e que, assim como Ryan, pratica exercícios todos os dias e prega uma vida saudável, tem estado muito ocupado nos últimos dias.

“O fato de ser o integrante mais jovem do Congresso impõe algumas responsabilidades”, como a de fazer a conexão com os jovens, setor que ele admite não ser o forte de seu partido, explicou à AFP.

Em 2008, 66% das pessoas entre 18 e 29 votaram em Barack Obama contra 32% que optaram por John McCain. Em 2004, o democrata John Kerry obteve 54% dos votos dos jovens, enquanto seu rival e vencedor das eleições, George W. Bush, conseguiu 48%.

Mas “a boa notícia (…) é que os jovens estão agora decepcionados com a liderança de Barack Obama, decepcionados com o fato de muitos deles não terem emprego ou estarem subempregados”, ressaltou Schock, que não para de conceder entrevistas e participar de reuniões.

Seu modelo é o falecido ex-presidente Ronald Reagan, para quem não economiza elogios. “É uma grande inspiração”, disse.

A seu ver, as novas gerações estão mudando.

Os jovens congressistas “se preocupam mais em resolver os problemas do país” do que em ser “profissionais da política”, ressaltou.

“Muitos deles são formados em negócios. Não são professores de Ciência Política nem advogados”, explicou.