Neve se intensifica conforme tempestade atinge nordeste dos EUA

Entre 20 e 30 centímetros de neve intensa e molhada, parte dela acompanhada por trovões e relâmpagos, era prevista para Nova York e subúrbios próximos

Nova York – A segunda tempestade de inverno dentro de uma semana entrou em Nova York e Estados próximos nesta quarta-feira, com meteorologistas prevendo intensificação da queda de neve que pode atrapalhar a hora do rush noturna, enquanto milhares de pessoas continuam sem energia elétrica desde a última tempestade.

Entre 20 e 30 centímetros de neve intensa e molhada, parte dela acompanhada por trovões e relâmpagos, era prevista para a cidade de Nova York e subúrbios próximos em Nova Jersey e Connecticut até a manhã de quinta-feira. Rajadas de vento podem criar “condições de baixa visibilidade” para viajantes, informou o Serviço Meteorológico Nacional.

O serviço aumentou suas estimativas para queda de neve na manhã desta quarta-feira, com até 60 centímetros esperados em algumas partes de Nova Jersey, Nova York, Connecticut e Massachusetts.

A tempestade irá se espalhar com graus de intensidade variados pelo nordeste, do oeste da Pensilvânia até Nova Inglaterra, e autoridades tomaram precauções.

Cerca de metade de todos os voos programados foram cancelados nos três grandes aeroportos em torno da cidade de Nova York, de acordo com o serviço de monitoramento FlightAware.

Todas as escolas foram fechadas na Filadélfia, enquanto escolas na região cancelaram aulas ou encurtaram o dia escolar antes da tempestade, relataram redes locais. Escolas permaneceram abertas na cidade de Nova York.

O governador de Connecticut, Dannel Malloy, ordenou que muitos funcionários estaduais fossem para casa mais cedo na tarde desta quarta-feira em intervalos escalonados para evitar problemas de trânsito em ruas escorregadias.

A tempestade desta semana não recebeu previsão de ter ventos com força de furacão como os alcançados em alguns momentos pela tempestade da semana passada, mas meteorologistas disseram que fortes rajadas de 96,56 quilômetros por hora e neve acumulada serão o suficiente para derrubar mais redes elétricas.

Cerca de 100 mil casas e empresas na região permaneciam sem energia nesta quarta-feira.