Israel e Rússia discutem fornecimento de armas à Síria

Tema do encontro foi revelado por fonte do governo russo. Moscou defente venda de amramentos ao regime sírio de Bashar al Assad

Moscou – O primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, viajará na próxima semana para se reunir com o presidente russo, Vladimir Putin, e discutir o fornecimento de armas à Síria, informou neste sábado a agência russa ‘RIA Novosti’.

O encontro foi revelado por uma fonte do governo russo, segundo o órgão de comunicação estatal. ‘O tema principal será a exportação de armamento à Síria’, disse a fonte, segundo a ‘RIA Novosti’.

O porta-voz do Kremlin, Dmitri Peskov, confirmou que Netanyahu, que já criticou duramente o governo russo em outras ocasiões, chegará ao país no início da próxima semana.

Na semana passada, Putin e o primeiro-ministro de Israel se falaram por telefone, logo depois de um bombardeio contra instalações militares perto de Damasco, ação atribuída ao governo de Netanyahu, que confirmou nem negou a autoria.

A Rússia não chegou a condenar o ataque, mas advertiu sobre o perigo da propagação do conflito armado na Síria, para as fronteiras com Israel e o Líbano.

Hoje, Moscou defendeu a venda de armamento ao regime do presidente sírio, Bashar al Assad. ‘Não existe embargo e nós cumprimos contratos assinados anteriormente. Ou seja, cumprimos com obrigações contraídas’, afirmou uma fonte às agências locais, completando que os itens negociados são exclusivamente defensivos.

O ministro das Relações Exteriores russo, Sergei Lavrov, revelou ontem em Varsóvia, que a Rússia está completando a entrega de mísseis antiaéreos S-300 à Síria, garantindo que estes não têm caráter ofensivo.