Navios da Itália vão transferir imigrantes do Aquarius para a Espanha

A Itália e Malta, que se recusaram a receber o navio Aquarius, vão ajudar no transporte dos migrantes até o porto de Valência, na Espanha

Roma – Um navio da guarda costeira da Itália e outro da marinha, com funcionários da Ordem de Malta e do Unicef a bordo, chegarão nas próximas horas desta terça-feira à região onde está o Aquarius para transportar 500 imigrantes para o porto de Valência, na Espanha.

“Nas próximas horas, parte dos imigrantes do navio Aquarius será transferida ao navio Dattilo, da guarda costeira italiana, e a uma embarcação da marinha de guerra, a fim de permitir a transferência das três unidades para o litoral da Espanha, em condições de máxima segurança possível para as pessoas a bordo”, diz um comunicado da guarda costeira italiana.

O Aquarius, das ONGs SOS Méditerranèe e Médicos Sem Fronteiras (MSF), está a 27 milhas de Malta desde o último sábado, depois que as autoridades italianas e maltesas se recusaram a abrir seus portos. Ontem, a Espanha se ofereceu para receber o navio no porto de Valência.

“O navio, que está em contato permanente com o Centro Nacional de Coordenação de Resgate da Guarda Costeira Marítima em Roma (IMRCC, na sigla em inglês), está sendo supervisionado por navios-patrulha da guarda costeira com profissionais de saúde a bordo, prontos para proporcionar atendimento médico quando for necessário”, diz o comunicado.

Esta foi a solução proposta pelas autoridades italianas depois que as ONGs explicaram que era arriscado demais fazer uma viagem de tantos dias em um navio que superou sua capacidade e devido à previsão de uma piora nas condições meteorológicas.

No navio Dattilo da guarda costeira italiana haverá profissionais de saúde do Corpo de Socorro Italiano da Ordem de Malta e funcionários do Unicef (Fundo das Nações Unidas para a Infância) que ficará responsável pelos menores de idade.

No Aquarius há 123 menores não acompanhados, 11 crianças pequenas e sete mulheres grávidas.

“O tempo de navegação estimado é de quatro dias”, acrescentou a guarda costeira italiana.

Para garantir a assistência imediata em caso de emergência de caráter sanitário, “durante toda a travessia, todos os centros de coordenação SAR (Busca e Salvamento) dos países em cujas águas passarão os três navios foram alertados”, segundo a guarda costeira italiana.