Navio com 932 imigrantes chega ao porto de Catânia, na Itália

No total foram resgatados 937 imigrantes e dois corpos foram encontrados nos barcos em que viajavam

Roma – Um navio da Guarda Costeira italiana com 932 imigrantes a bordo e dois corpos chegou nesta quarta-feira a Catânia, na Sicília (Itália), enquanto outra embarcação de uma ONG alemã permanece na costa da Líbia aguardando a autorização para desembarcar em algum porto.

Os imigrantes que chegaram a Catânia foram resgatados no último domingo em sete operações distintas por embarcações da missão europeia EUNavforMed e alguns mercantes e depois transferidos para o barco de patrulha da Guarda Costeira Diciotti.

No total foram resgatados 937 imigrantes e dois corpos foram encontrados nos barcos em que viajavam.

Durante a travessia para Catânia, foi feita uma parada em Lampedusa para evacuar cinco deles, quatro mulheres grávidas e um menor, que foram imediatamente transferidos para hospitais sicilianos.

O novo desembarque em massa acontece depois que as autoridades da Itália e de Malta negassem o atraque do navio Aquarius da ONG SOS Méditerranée e Médicos Sem Fronteiras com 630 imigrantes e que após 48 horas de espera, seguiu ontem para Valência, após a autorização do governo espanhol.

Neste caso, a Itália dificultou a chegada destes imigrantes pois se trata de um navio da Guarda Costeira italiana.

Enquanto caso semelhante ao do Aquarius é registrado, já que um navio da ONG alemã Sea Watch que está localizado na costa da Líbia com 41 sobreviventes de um naufrágio e os corpos de 12 imigrantes, aguardando a autorização para chegar em algum porto.

Fontes da ONG disseram à Agência Efe que a embarcação “Trenton” da Marinha dos Estados Unidos localizou um bote de borracha e alertou por rádio o barco humanitário dessa organização que encontrava-se na região.

O ministro do Interior italiano, Matteo Salvini, ameaçou nas redes sociais o navio da ONG alemã, afirmando que negaria receber os imigrantes resgatados.